Saiba mais sobre Drenagem Linfática Manual

A Drenagem Linfática Manual é uma técnica de massagem terapêutica de movimentos leves e lentos, que tem como principal objetivo direcionar e melhorar o fluxo de líquidos pelo corpo, a drenagem linfática tem ganhado cada vez mais admiradores e adeptos pela sua eficácia.

No nosso dia a dia é comum ficarmos muito tempo parados na mesma posição, isso sem falar dos hábitos de uma alimentação muitas vezes nada saudável e também o velho e cansado sedentarismo, só esses fatores já contribuem de longe para a retenção de líquidos no nosso corpo, o famoso edema vulgarmente chamado de inchaço.

Entretanto, não é apenas o efeito de diminuição do edema que essa massagem terapêutica promove, a drenagem linfática manual ajuda a eliminar toxinas e de quebra ainda promove o relaxamento do corpo, que maravilha né!

Para entender melhor como a drenagem linfática manual age, é essencial conhecer as estruturas que compõe esse sistema.

Além do sistema cardiovascular (circulatório), o corpo humano possui outro sistema de fluxo de líquido, o Sistema Linfático, ele é o principal sistema de defesa do organismo, constituído pelos nódulos linfáticos (linfonodos), ou seja, uma rede complexa de vasos, responsável por transportar a linfa dos tecidos para o sistema circulatório.

O sistema linfático compreende o conjunto formado pela linfa, pelos vasos linfáticos e órgãos como os linfonodos, o baço, o timo e as tonsilas palatinas. A linfa é um líquido claro, ligeiramente esbranquiçado ou amarelado, que flui lentamente em nosso corpo através dos vasos linfáticos. Parte do plasma sanguíneo extravasa continuamente dos vasos capilares, formando um material líquido entre as células dos diversos tecidos do organismo o líquido intercelular ou intersticial, uma parte desse líquido intercelular retorna aos capilares sanguíneos, carregando gás carbônico e resíduos diversos. Outra parte, a linfa, é recolhida pelos capilares linfáticos, esses transportam a linfa até os vasos de maior calibre, chamados vasos linfáticos. Esses vasos semelhantes às veias, por sua vez, desembocam em grandes veias, onde a linfa é liberada, misturando-se com o sangue. Ao longo do seu trajeto, os vasos linfáticos passam pelo interior de pequenos órgãos globulares, chamados linfonodos. Os vasos linfáticos passam ainda por certos órgãos, como as tonsilas palatinas (amídalas) e o baço.

O sistema linfático não possui um órgão equivalente ao coração, a linfa portanto, não é bombeada como no caso do sangue, mesmo assim ela se desloca, pois as contrações musculares comprimem os vasos linfáticos, provocando o deslocamento da linfa. Olha só que legal, os exercícios físicos ajuda e muito o sistema linfático, então nada de ficar parado!

E tem mais, o sistema linfático possui três funções primárias: 1. Drenagem do excesso de liquido intersticial (intercelular), os vasos linfáticos drenam esse liquido dos espaços teciduais, retornando-o para o sangue. 2. Transporte de lipídios da dieta. Transportam lipídios e vitaminas lipossolúveis absorvidos pelo trato gastrointestinal. 3.Execução das respostas imunes, o tecido linfático inicia respostas muito específicas, direcionadas contra micróbios ou células anormais.

 

Algumas Doenças do Sistema Linfático:

 

– Elefantíase: A filaríase ou filariose é conhecida como “doença tropical infecciosa” e corresponde à inflamação dos vasos linfáticos transmitida por inseto (mosquito culex). Seu nome está associado com a retenção de líquido ou o inchaço dos membros, fazendo com que as pernas dos doentes tenham aspecto de elefante;

– Linfedema: caracterizada pela inflamação e obstrução dos vasos linfáticos, a linfedema leva a um inchaço excessivo que acomete na maioria das vezes os membros inferiores (pernas e pés);

– Linfoma: Um câncer que começa nas células do sistema linfático. Existem dois tipos de linfomas, linfoma de Hodgkin e linfoma não-Hodgkin. Eles diferem entre si pelos tipos de células encontradas à microscopia, pelo comportamento biológico e pela resposta à terapia. Acometem principalmente os linfonodos, que são órgãos do sistema de defesa do organismo, mas podem atingir outros órgãos, especialmente quando em estágios avançados; – Outra doença associada ao sistema linfático é a fibro edema gelóide conhecida popularmente como celulite, que pode ser amenizada com o tratamento da drenagem linfática.

Indicações da Drenagem Linfática:

Tratamento pré e pós-operatório de intervenção cirúrgica; Pós traumatismos; Insuficiência venosa; Edemas; Linfedemas; Fibro edema gelóide; Queimaduras; Enxertos; Acne; Rosácea; Hematomas e equimoses; Rigidez muscular; Período de TPM; Insônia; Pós-mastectomia; Pós-mesoterapia; Tratamento coadjuvante da cicatriz hipertrófica ou queloideana.

Contra indicações:

Neoplasias; Tromboflebite; Trombose; Septicemia; Reação inflamatória aguda; Insuficiência cardíaca não controlada; Processos viróticos; Febre; Gestação de alto risco; Hipertensão não controlada, Insuficiência Renal.

Bibliografia: Guirro, E. C.; Guirro, R. R. Fisioterapia Dermato – Funcional: Fundamentos Recursos Patologias – 4a Reimpressão da 3ª ed. Brasileira: São Paulo: Manole, 2010. Tortora, G.J; Derrickson, B. Princípios de Anatomia e Fisiologia – 12a Ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2010. Leduc, A. ; Leduc, O. Drenagem Linfática: teoria e Prática. 2ª ed. São Paulo: Manole, 2000.

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado.